Em desenvolvimento: intercalação de consultas para o Azure Analysis Services

Postado em quinta-feira, 11 de julho de 2019

Disponibilidade de destino: Q4 2019

O Azure Analysis Services fornece funcionalidades de modelagem semântica de BI em nível corporativo, com os benefícios de escala, flexibilidade e gerenciamento proporcionados pela nuvem, ajudando você a transformar dados complexos em insights acionáveis. Os sistemas corporativos de BI precisam ser compatíveis com alta simultaneidade de usuários, o que significa que pode haver muitas consultas enviadas próximas umas das outras. Temos o prazer de anunciar que estamos trabalhando no recurso de intercalação de consultas, que permite que a configuração do sistema melhore a experiência do usuário em cenários de alta simultaneidade

Por padrão, o mecanismo tabular do Analysis Services funciona no modo PEPS ("primeiro a entrar, primeiro a sair") em relação à CPU. Isso significa, por exemplo, que se uma consulta do mecanismo de armazenamento lenta/com alto custo de processamento for recebida e, logo em seguida, chegarem duas consultas rápidas, as consultas rápidas poderão ficar bloqueadas aguardando a conclusão da consulta mais lenta. Isso é representado pelo diagrama a seguir, que mostra Q1, Q2 e Q3 como as respectivas consultas e seus dados de duração e tempo de CPU.

PEPS

Com a intercalação de consultas, as consultas simultâneas podem compartilhar recursos da CPU, de modo que as consultas mais rápidas não sejam bloqueadas pelas consultas mais lentas. O tempo que leva para conclusão das três consultas é aproximadamente o mesmo, mas Q2 e Q3 não ficam bloqueadas até o final.

Intercalação de consultas

A intercalação de consultas foi criada de modo a causar pouco ou nenhum impacto sobre o desempenho de consultas executadas isoladamente; uma consulta única deve consumir a mesma quantidade de CPU que consumiria usando o modelo PEPS.

O desvio de consultas curtas pode ser configurado com a intercalação de consultas. Isso significa que pode ser alocada uma proporção maior de recursos para as consultas rápidas (definidas pela quantidade de CPU que cada consulta já consumiu) do que para as consultas de execução longa, permitindo que as consultas rápidas sejam concluídas em um tempo razoavelmente curto. Na ilustração a seguir, as consultas Q2 e Q3 são consideradas "consultas rápidas" e, portanto, têm mais recursos de CPU alocados para elas do que para Q1.

Desvio de consultas curtas

Esperamos que você possa ver que a intercalação de consultas com desvio de consultas curtas agregará muito valor aos sistemas corporativos de BI no Azure Analysis Services.

  • Analysis Services do Azure
  • Features
  • Management