O que é computação em nuvem?

Um guia para iniciantes

Para simplificar, a computação em nuvem é o fornecimento de serviços de computação – servidores, armazenamento, bancos de dados, rede, software, análise e muito mais – pela Internet (“a nuvem”). As empresas que oferecem esses serviços de computação são denominadas provedoras de nuvem e costumam cobrar pelos serviços de computação em nuvem com base no uso, da mesma forma que você seria cobrado pela conta de água ou luz em casa.

Ainda tem dúvida sobre como a computação em nuvem funciona e sua funcionalidade? Este guia para iniciantes é criado para desmistificar o jargão e os conceitos de computação em nuvem básicos e deixá-lo rapidamente informado.

Como escolher um provedor de nuvem

Dicionário de termos comuns de computação em nuvem

Usos da computação em nuvem

Provavelmente você está usando computação em nuvem neste momento, mesmo sem perceber. Se você usa um serviço online para enviar email, editar documentos, ver filmes ou TV, ouvir música, jogar ou armazenar fotos e outros arquivos, é provável que a computação em nuvem esteja nos bastidores possibilitando tudo isso. Os primeiros serviços de computação em nuvem têm somente uma década, mas diversas organizações – de pequenas start-ups a corporações globais, de agências do governo a empresas sem fins lucrativos – estão adotando essa tecnologia por diversos motivos. Veja aqui algumas coisas que você pode fazer com a nuvem:

  • Criar novos aplicativos e serviços
  • Armazenar, fazer backup e recuperar dados
  • Hospedar sites da Web e blogs
  • Transmitir áudio e vídeo
  • Fornecer software sob demanda
  • Analisar dados para padrões e fazer previsões

Principais benefícios da computação em nuvem

A computação em nuvem é uma grande mudança na forma tradicional que as empresas pensam em recursos de TI. O que há de diferente na computação em nuvem? Por que a computação em nuvem é tão popular? Conheça seis motivos comuns pelos quais as organizações estão aderindo aos serviços de computação em nuvem:

1. Custo

A computação em nuvem elimina o gasto capital de compra de hardware e software e instalação e execução de datacenters locais – racks de servidores, eletricidade com disponibilidade permanente para energia e resfriamento, especialistas de TI para gerenciamento da infraestrutura. Isso pode impulsionar seus negócios.

2. Velocidade

A maior parte dos serviços de computação em nuvem é fornecida por autosserviço e sob demanda, para que até grandes quantidades de recursos de computação possam ser provisionadas em minutos, normalmente com apenas alguns cliques, fornecendo às empresas muita flexibilidade e aliviando a pressão do planejamento de capacidade.

3. Escala global

Os benefícios dos serviços de computação em nuvem incluem a capacidade de dimensionamento elástico. Em termos de nuvem, isso significa fornecer a quantidade correta de recursos de TI, por exemplo, mais ou menos energia de computação, armazenamento e largura de banda, quando necessário e no local geográfico correto.

4. Produtividade

A computação em nuvem exclui a necessidade de muitas dessas tarefas para que as equipes de TI possam usar o tempo delas para alcançar metas de negócios mais importantes. A computação em nuvem remova a necessidade de muitas destas tarefas, para que as equipes de TI possam acelerar o tempo ao obter metas de negócios mais importantes.

5. Desempenho

Os maiores serviços de computação em nuvem são executados em uma rede mundial de datacenters seguros, que são atualizados regularmente com a mais recente geração de hardware de computação rápido e eficiente. Isso oferece diversos benefícios em um único datacenter corporativo, incluindo latência de rede reduzida para aplicativos e mais economia de escalonamento.

6. Confiabilidade

A computação em nuvem facilita e reduz os custos de backup de dados, recuperação de desastre e continuidade dos negócios, já que os dados podem ser espelhados em diversos sites redundantes na rede do provedor de nuvem.

Tipos de serviços de nuvem: IaaS, PaaS e SaaS

A maioria dos serviços de computação em nuvem se divide em três amplas categorias: IaaS (infraestrutura como serviço), PaaS (plataforma como serviço) e SaaS (software como serviço). Às vezes, eles são denominados pilha de computação em nuvem, pois são compilados um sobre o outro. Saber o que eles são e como são diferentes ajuda a alcançar suas metas de negócios.

IaaS (Infraestrutura como serviço)

A categoria mais básica de serviços de computação em nuvem. Com IaaS, você aluga infraestrutura de TI, servidores e VMs (máquinas virtuais), armazenamento, redes e sistemas operacionais, de um provedor de nuvem em uma base pré-paga. Para saber mais, veja O que é IaaS?

PaaS (plataforma como serviço)

O serviço PaaS (Plataforma como serviço) se refere aos serviços de computação em nuvem que fornecem um ambiente sob demanda para desenvolvimento, teste, fornecimento e gerenciamento de aplicativos de software. O PaaS foi criado para facilitar aos desenvolvedores criarem aplicativos móveis ou Web rapidamente, sem se preocupar com a configuração ou o gerenciamento de infraestrutura subjacente de servidores, armazenamento, rede e bancos de dados necessários para desenvolvimento. Para saber mais, veja O que é PaaS?

SaaS (software como serviço)

O SaaS (software como serviço) é um método para fornecer aplicativos de software pela Internet, sob demanda e, normalmente, em uma base de assinaturas. Com o SaaS, os provedores de nuvem hospedam e gerenciam o aplicativo de software e a infraestrutura subjacente e fazem manutenções, como atualizações de software e aplicação de patch de segurança. Os usuários conectam o aplicativo pela Internet, normalmente com um navegador da Web em seu telefone, tablet ou PC. Para saber mais, veja O que é SaaS?

Tipos de implantação em nuvem: pública, privada e híbrida

Nem todas as nuvens são iguais. Há três maneiras diferentes de implantar recursos de computação em nuvem: nuvem pública, nuvem privada e nuvem híbrida.

Nuvem pública

Nuvens públicas são de propriedade de um provedor de serviços de nuvem de terceiros e operadas por ele, que por sua vez fornece recursos de computação, como servidores e armazenamento pela Internet. O Microsoft Azure é um exemplo de nuvem pública. Com uma nuvem pública, todo o hardware, software e outras infraestruturas de suporte são de propriedade e gerenciadas pelo provedor de nuvem. Você acessa esses serviços e gerencia sua conta usando um navegador da Web.

Nuvem privada

Uma nuvem privada se refere aos recursos de computação em nuvem usados exclusivamente por uma única empresa ou organização. Uma nuvem privada pode estar localizada fisicamente no datacenter local da empresa. Algumas empresas também pagam provedores de serviço de terceiros para hospedar sua nuvem privada. Uma nuvem privada é aquela em que os serviços e a infraestrutura são mantidos em uma rede privada.

Nuvem híbrida

Nuvens híbridas combinam nuvens públicas e privadas ligadas por uma tecnologia que permite que dados e aplicativos sejam compartilhados entre elas. Ao permitir que dados e aplicativos sejam movidos entre nuvens públicas e privadas, a nuvem híbrida dá aos negócios mais flexibilidade e mais opções de implantação.

Como a computação em nuvem funciona

Todos os serviços de computação em nuvem funcionam de forma um pouco diferente, dependendo do provedor. Mas muitos fornecem um painel amigável baseado em navegador que facilita aos profissionais de TI e desenvolvedores solicitarem recursos e gerenciar suas contas. Alguns recursos de computação em nuvem também são criados para funcionar com APIs REST e uma CLI (interface de linha de comando), fornecendo diversas opções aos desenvolvedores.

Microsoft e computação em nuvem

A Microsoft é a provedora global líder de serviços de computação em nuvem para empresas de todos os tamanhos. Para saber mais sobre o Microsoft Azure, nossa plataforma de nuvem, e como ela se compara a outros provedores de nuvem, veja O que é o Azure? e Azure v. AWS.