Trace Id is missing
Pular para o conteúdo principal
Imagem de uma sala de servidor

O que é a migração de dados?

A migração de dados significa mover dados, geralmente de locais, para uma plataforma de nuvem.

Definição de migração de dados: O que é a migração de dados?

Em geral, a migração de dados significa mover informações digitais. Transferir essas informações para um local diferente, formato de arquivo, ambiente, sistema de armazenamento, banco de dados, datacenter ou aplicativo se encaixa na definição de migração de dados.

Uma pessoa trabalhando em um laptop com dois monitores adicionais

Para definir a migração de dados mais especificamente:

A migração de dados é o processo de selecionar, preparar, extrair e transformar dados e transferi-los permanentemente de um sistema de armazenamento de computador para outro.

A migração de dados é uma atividade de TI comum. No entanto, os ativos de dados podem existir em muitos estados e locais diferentes, o que torna alguns projetos de migração mais complexos e tecnicamente desafiadores do que outros. Exemplos de ativos de dados incluem:

  • Variedades desorganizadas de arquivos armazenados em muitos dispositivos diferentes.

  • Aplicativos, sistemas operacionais e ambientes.

  • Bancos de dados relacionais como SQL Server, MySQL, PostgreSQL e MariaDB.

  • Bancos de dados não estruturados, como MongoDB, Azure Cosmos DB, DocumentDB, Cassandra, Couchbase, HBase, Redis e Neo4j.

  • Data lakes, blobs de dados e datacenters inteiros.

Como resultado, os projetos de migração de dados requerem planejamento, implementação e validação para garantir seu sucesso. Saiba mais sobre a migração na nuvem e outros tipos de migração aqui.

Como planejar uma migração de dados

Antes mesmo de começar a reunir requisitos e definir o escopo de uma migração de dados na nuvem, as organizações precisam começar descobrindo e avaliando sua propriedade de dados. Os dados devem ser mapeados a fim de se definir seu volume geral, sua diversidade e em qual qualidade ou condição eles estão.

Também é importante avaliar o impacto da migração na organização, estabelecer quem são os stakeholders e quem possui conhecimento relevante, atribuir responsabilidades, definir orçamento e cronogramas e concordar sobre como todos se comunicarão sobre o projeto de migração de dados.

Depois de definir o escopo do projeto, as equipes projetam a migração, o que inclui a seleção do software e hardware de migração de dados que serão usados para movê-los, criação de especificações para a migração e determinação a velocidade com a qual os dados serão migrados: de uma vez, um pouco de cada vez, ou uma alternativa intermediária. Muitas organizações buscam ajuda e orientação para dimensionar corretamente sua migração, especialmente ao migrar para a nuvem.

Como implementar uma migração de dados

Quando o planejamento é concluído e a migração é projetada, as equipes iniciam a implementação. Elas criam a solução de migração de dados de acordo com os requisitos e as diretrizes de migração passo a passo estabelecidas na fase de planejamento e começam a transferir os dados.

À medida que os dados migram, as equipes monitoram e testam para garantir que os dados sejam transferidos corretamente e sem conflitos, problemas de qualidade, duplicatas e anomalias. Esse monitoramento e teste ocorrem em um ambiente que espelha o ambiente de produção e permite que as equipes identifiquem e corrijam rapidamente quaisquer problemas com a migração de dados.

Como validar uma migração de dados

Após a migração de todos os dados e a conclusão da implementação, as equipes auditarão os dados em sua nova configuração e validarão se eles foram transferidos com precisão. As equipes só retirarão a configuração de dados antiga de serviço depois que a migração de dados for validada por stakeholders técnicos e de negócios, assim como por qualquer outra pessoa que possa usar os dados, incluindo clientes.

Uma organização pode precisar ou optar por migrar dados por vários motivos diferentes. Em um alto nível, esses motivos podem incluir redução de custos, implementação de inovação, aumento de desempenho, criação de maior disponibilidade e fortalecimento da segurança. À medida que as organizações tomam a decisão de migrar dados, elas precisam considerar a integridade, o custo da migração e o impacto nos negócios e nos clientes.

Alguns cenários específicos e casos de negócios que podem exigir a migração de dados incluem:

Migração de dados versus conversão de dados: Qual é a diferença?

Para entender melhor o que significa a migração de dados, é importante saber o que é conversão de dados e como ela se relaciona com a migração. É comum haver confusão entre a conversão versus a migração de dados em uma atividade ou projeto porque, por definição, a migração de dados inclui a conversão de dados. A conversão de dados, no entanto, é apenas um aspecto da migração. Portanto, os dois termos não podem ser usados de maneira sinonímia.

Na migração, os dados são movidos de um lugar para outro, enquanto na conversão, os dados são transformados de um formato para outro. A comparação a seguir destaca mais diferenças e semelhanças entre a migração e a conversão de dados.

plano de suporte para toda a organização
Migração de dados Conversão de dados

Os dados são movidos para um novo datacenter, local, sistema ou ambiente.

Os dados são movidos para um novo aplicativo. O datacenter, o sistema ou o ambiente podem permanecer os mesmos.

O formato dos dados pode permanecer o mesmo.

O formato dos dados é transformado.

O processo consiste em planejamento, implementação e validação.

O processo consiste em extração, transformação e carregamento.

A migração de dados geralmente inclui a conversão, mas esta nem sempre é necessária.

A conversão de dados geralmente é uma das primeiras etapas na migração de dados, mas a migração de dados pode ocorrer sem conversão.

A migração de dados pode introduzir novos aplicativos que leem as informações de uma maneira diferente de como os aplicativos herdados leem as informações. Para que os dados que funcionavam com o aplicativo herdado funcionem com o novo aplicativo, as equipes devem transformar os dados em um formato que o novo sistema consiga entender e usar. Esse processo de transformação é chamado de conversão de dados. Por meio da conversão de dados, as equipes podem mover dados de um aplicativo herdado para um totalmente diferente, ou até mesmo para uma versão diferente do mesmo aplicativo. Os dados são extraídos da fonte, transformados em um novo formato e carregados no novo aplicativo.

Com frequência, uma migração de dados bem-sucedida envolve a transformação de dados pelas equipes, o que acontece no início do processo de migração, antes que os dados sejam movidos para um novo local. A conversão de dados não inclui criação de perfil, limpeza, validação ou, depois da migração, a execução de testes de garantia de qualidade nos dados. Então trata-se mais de saber como o projeto incluirá a conversão de dados durante a migração do que saber as diferenças entre elas.

Tipos de migração de dados

Embora cada projeto de migração de dados seja diferente de acordo com os sistemas e dados envolvidos, bem como os objetivos da organização, a migração de dados pode ser classificada em cinco grandes categorias:

Uma pessoa usando um tablet. Gráficos e telas de email abertos em dois monitores sobre uma mesa.

Esses não são os únicos tipos de migração de dados, e um projeto de migração de dados pode incluir vários tipos de migração. Por exemplo, se uma organização decidir mover dados de um servidor local para um servidor operado por um provedor de nuvem, esse projeto pode precisar de uma migração para nuvem e uma migração de banco de dados. As cinco categorias são úteis porque fornecem uma estrutura geral dos cenários de migração de dados e os motivos pelos quais uma organização pode realizar esse tipo específico de migração.

Migração de armazenamento

As migrações de armazenamento são os tipos mais básicos de migração, pois são a razão primeira para a migração de dados. Essas migrações consistem na movimentação de dados de um dispositivo de armazenamento antigo para um dispositivo de armazenamento novo ou diferente. Esse dispositivo pode estar no mesmo local ou em um datacenter diferente, longe do local original. O dispositivo também pode ser de um tipo diferente, como migrar de uma unidade de disco rígido para uma unidade de estado sólido. Migrar dados para a nuvem ou de um provedor de nuvem para outro também é um tipo de migração de armazenamento, embora as especificidades desses tipos de migração sejam mais comumente conhecidas como migrações para nuvem.

As organizações podem optar por fazer uma migração de armazenamento quando virem a necessidade de atualizar seus equipamentos ou infraestrutura para obter um desempenho mais rápido ou economizar dinheiro em dimensionamento. A nova tecnologia também pode permitir que a organização gerencie, proteja, faça backup ou recupere dados com mais eficiência. Durante uma migração de armazenamento, as organizações também têm a oportunidade de limpar e validar os dados, mas costuma ser menos frequente que as organizações optem por alterar o formato dos dados durante esse tipo de migração.

Migração de banco de dados

Esse tipo de migração de dados geralmente requer conversão de dados porque as migrações de banco de dados geralmente envolvem a movimentação de grandes quantidades de dados para um mecanismo de banco de dados ou sistema de gerenciamento de banco de dados atualizado ou diferente. As migrações de banco de dados são mais complexas do que as migrações de armazenamento porque não apenas mais dados estão sendo transferidos, mas também porque os dados provavelmente terão seu formato alterado.

As migrações de banco de dados podem ser necessárias para as organizações quando precisam atualizar seu software de banco de dados, migrar um banco de dados para a nuvem ou alterar os fornecedores de banco de dados. Antes do início da migração, as equipes devem garantir que haja capacidade adequada para o banco de dados e fazer testes para se certificar que não haja impacto nos aplicativos que usam o banco de dados.

Migração de aplicativos

Uma migração de aplicativo envolve a movimentação de dados para um novo ambiente de computação. Esse tipo de migração de dados é um exemplo de migração que combina várias outras. A migração de um aplicativo pode exigir migrações de banco de dados e de armazenamento. O banco de dados que o aplicativo usa precisará ser realocado – às vezes até modificado em formato para se adequar a um novo modelo de dados por meio de conversão de dados – junto com os arquivos e a estrutura de diretórios que o aplicativo requer para ser instalado e executado.

As organizações podem realizar uma migração de aplicativo quando houver uma alteração no software que a organização usa para executar uma função comercial, no fornecedor que fornece o software ou na plataforma em que o software reside.

Migração na nuvem

Assim como dois outros tipos de migração de dados – migração de armazenamento e migração de aplicativos – esse tipo de migração de dados envolve a movimentação de dados ou aplicativos. O aspecto principal é que a migração de dados em nuvem refere-se especificamente à transferência de dados ou aplicativos de um datacenter local privado para a nuvem ou de um ambiente de nuvem para outro. A extensão da migração é variável. Uma migração para a nuvem pode envolver a movimentação de todos os dados, aplicativos e serviços para a nuvem, ou pode envolver a movimentação de apenas alguns itens selecionados para atender a uma finalidade estratégica ou necessidade de negócios.

A migração para a nuvem permite que as organizações façam o dimensionamento com menos limitações, provisionem recursos mais prontamente, atualizem dados mais fidedignos, gastem com mais eficiência e inovem com mais rapidez. Com seus dados e aplicativos residindo na nuvem, as organizações não precisam mais manter as máquinas e a infraestrutura que armazenavam esses ativos localmente.

Migração de processo empresarial

Esse tipo de migração de dados refere-se à movimentação de dados e aplicativos para melhor gerenciar ou operar o próprio negócio. Em uma migração de processos de negócios, a organização pode transferir quaisquer tipos de dados, incluindo bancos de dados e aplicativos, que atendam a produtos, experiências de clientes, operações e práticas.

As organizações podem realizar esse tipo de migração de dados para otimizar ou reorganizar a forma como o negócio é executado a fim de competir melhor no mercado, oferecer um novo produto ou serviço ou concluir uma fusão ou aquisição.

Ferramentas de migração de dados

Para realizar a migração, as equipes devem usar várias ferramentas de migração para mover os dados e modificá-los conforme necessário. Algumas equipes optarão por criar suas próprias ferramentas de migração de dados do início. A vantagem de criar ferramentas de migração de dados é que as equipes podem adaptar as ferramentas para seus sistemas e usos específicos. No entanto, codificar o software de migração de dados pode levar muito tempo, exigir muito trabalho manual de integração e reimplementação e incorrer em custos que podem ser melhor gastos em outras partes do processo de migração de dados. As ferramentas de migração de dados com script próprio também podem enfrentar desafios de dimensionamento ou manipulação de muitas fontes de entrada.

Alternativamente, as equipes podem optar por usar o software de migração de dados existente simplificar e aumentar a eficiência e a rapidez do ato de mover dados. Muitas vezes, o software é especializado em ajudar com um tipo específico de migração, como mover um banco de dados do SQL Server para a nuvem. Mas mesmo com o software, a equipe ainda precisa saber tudo sobre os dados que estão movendo, quanto será migrado e quando, quais alterações precisarão fazer e se há algum problema para resolver uma vez que a transferência esteja completa. Além disso, as equipes também precisarão escolher entre ferramentas de migração de dados locais e na nuvem.

Que tipo de software de migração de dados usar

As equipes podem escolher entre software de migração de dados local, baseado em nuvem ou com script próprio. Geralmente, ferramentas locais funcionam bem quando os dados e os sistemas de destino estão todos no mesmo local e dentro da mesma organização; ferramentas baseadas em nuvem têm melhor desempenho ao mover diferentes sistemas de dados ou reformular a plataforma para a nuvem; e as ferramentas com script próprio podem ser adequadas para projetos pequenos e muito específicos. No entanto, como os projetos de migração de dados são complexos, há muitos outros fatores que devem ser considerados ao escolher entre os diferentes tipos de software de migração de dados disponíveis. Este gráfico sugere quais ferramentas se destacam dependendo dos recursos de um determinado cenário de migração.

plano de suporte para toda a organização
Ferramentas com script próprio Ferramentas locais Ferramentas baseadas em nuvem

Tipo e volume de dados

Pequena quantidade

included
included
included

Grande quantidade

included
included

Formato compatível

included
included

Formato sem suporte

included

Fonte e destino

Fontes de local único

included
included
included

Fontes de vários locais

included

Destino da nuvem

included

Destino local

included
included

Fonte e destino comuns

included
included

Fonte e destino incomuns

included

Necessidades do projeto

Dimensionamento necessário

included
included

Dimensionamento não necessário

included
included
included

Controle de dispositivos de armazenamento

included
included

Acesso local

included
included
included

Acesso global

included

Computação e armazenamento sob demanda

included

Alto tempo de atividade e confiabilidade

included

Como escolher uma ferramenta de migração de dados

  • Além dos critérios descritos acima, as equipes e organizações considerarão outros fatores ao selecionar sua solução de migração de dados. Esses fatores incluem:
  • Orçamento e linha do tempo

  • Competências e experiências da equipe.

  • Da necessidade de escalonamento e flexibilidade da empresa

  • Relação com o provedor da ferramenta de migração de dados

  • Segurança e conformidade regulatória

  • Tempo de atividade ou outros SLAs

  • Possível impacto

  • Os usuários dos dados

  • Sistemas operacionais
Duas pessoas assistindo a algo na tela de um monitor desktop.

Como iniciar a migração de dados na nuvem

Assim que uma organização estiver pronta para realizar a migração de dados, ela pode começar a explorar suas opções de ferramentas de migração ou um parceiro que realize migração de dados por ela. Para saber mais sobre as vantagens e o processo por trás da migração para o Azure, explore estes recursos:

Perguntas frequentes sobre migração de dados

  • A migração de dados é a movimentação de informações digitais. Transferir essas informações para um local diferente, formato de arquivo, ambiente, sistema de armazenamento, banco de dados, datacenter ou aplicativo se encaixa na definição de migração de dados.

  • Na migração, os dados são movidos de um lugar para outro, enquanto na conversão, os dados são transformados de um formato para outro. Às vezes, a conversão de dados ocorre durante a migração de dados.

  • Os tipos de migração de dados podem ser classificados em cinco categorias amplas: migração de armazenamento, migração de banco de dados, migração de aplicativos, migração de nuvem e migração de processo empresarial.