Controlo e Rastreio da Cadeia de Abastecimento

Um padrão de blockchain comum é a monitorização preparada para IoT de um recurso enquanto este atravessa uma cadeia de fornecimento com vários intervenientes. Um excelente exemplo deste padrão é o transporte refrigerado de bens perecíveis como comida ou medicamentos em que é necessário obedecer a determinadas regras de conformidade ao longo de todo o processo de transporte. Neste cenário, a contraparte que inicia o processo (como, por exemplo, um revendedor) especifica as condições contratuais, como o intervalo de humidade e temperatura necessário, que os responsáveis da cadeia de abastecimento têm de cumprir. A qualquer momento do processo, se o dispositivo registar uma medição de humidade ou temperatura fora do intervalo estipulado, o estado do contrato inteligente é atualizado para indicar um incumprimento, registando uma transação no blockchain e acionando eventos de remediação a jusante.

Supply Chain Track and TraceLearn how to use the Azure Blockchain Workbench. Build an asset tracking application for supply chain with a step-by-step flowchart.12345678

Os dispositivos IoT comunicam com o Hub IoT. O Hub IoT tem uma rota configurada que envia mensagens específicas para um Service Bus associado a essa rota. A mensagem permanece no formato nativo que corresponde ao dispositivo e tem de ser traduzida para o formato utilizado pelo Azure Blockchain Workbench. Uma Aplicação Lógica do Azure encarrega-se dessa transformação. A Aplicação Lógica é acionada quando uma nova mensagem é adicionada ao Service Bus associado ao Hub IoT. Em seguida, transforma a mensagem e envia-a para o Service Bus utilizado para a entrega de mensagens no Azure Blockchain Workbench. O primeiro Service Bus serve, efetivamente, de "Caixa de saída" do Hub IoT e o segundo serve de "Caixa de entrada" do Azure Blockchain Workbench.

O Consumidor DLT obtém os dados do mediador de mensagens (Service Bus) e envia os dados para o Construtor de Transações - Signatário.

O Construtor de Transações cria e assina a transação.

A transação assinada é encaminhada para o Blockchain (Rede de Consórcio de Ethereum Privada).

O Observador DLT recebe confirmação da alocação da transação para o Blockchain e envia a confirmação para o mediador de mensagens (Service Bus).

Os consumidores de DB enviam transações de blockchain confirmadas para bases de dados fora da cadeia (Base de Dados SQL do Azure).

As informações são analisadas e visualizadas com ferramentas como o Power BI ao ligar a bases de dados fora da cadeia (Base de Dados SQL do Azure).

Os eventos do livro razão são enviados para o Event Grid e para o Service Bus para serem utilizados pelos consumidores a jusante. Exemplos de "consumidores a jusante" incluem aplicações lógicas, funções ou outro código que tenha sido concebido para realizar ações sobre os eventos. Por exemplo, uma Função do Azure pode receber um evento e, em seguida, colocá-lo num arquivo de dados como o SQL Server.

  1. 1 Os dispositivos IoT comunicam com o Hub IoT. O Hub IoT tem uma rota configurada que envia mensagens específicas para um Service Bus associado a essa rota. A mensagem permanece no formato nativo que corresponde ao dispositivo e tem de ser traduzida para o formato utilizado pelo Azure Blockchain Workbench. Uma Aplicação Lógica do Azure encarrega-se dessa transformação. A Aplicação Lógica é acionada quando uma nova mensagem é adicionada ao Service Bus associado ao Hub IoT. Em seguida, transforma a mensagem e envia-a para o Service Bus utilizado para a entrega de mensagens no Azure Blockchain Workbench. O primeiro Service Bus serve, efetivamente, de "Caixa de saída" do Hub IoT e o segundo serve de "Caixa de entrada" do Azure Blockchain Workbench.
  2. 2 O Consumidor DLT obtém os dados do mediador de mensagens (Service Bus) e envia os dados para o Construtor de Transações - Signatário.
  3. 3 O Construtor de Transações cria e assina a transação.
  4. 4 A transação assinada é encaminhada para o Blockchain (Rede de Consórcio de Ethereum Privada).
  1. 5 O Observador DLT recebe confirmação da alocação da transação para o Blockchain e envia a confirmação para o mediador de mensagens (Service Bus).
  2. 6 Os consumidores de DB enviam transações de blockchain confirmadas para bases de dados fora da cadeia (Base de Dados SQL do Azure).
  3. 7 As informações são analisadas e visualizadas com ferramentas como o Power BI ao ligar a bases de dados fora da cadeia (Base de Dados SQL do Azure).
  4. 8 Os eventos do livro razão são enviados para o Event Grid e para o Service Bus para serem utilizados pelos consumidores a jusante. Exemplos de "consumidores a jusante" incluem aplicações lógicas, funções ou outro código que tenha sido concebido para realizar ações sobre os eventos. Por exemplo, uma Função do Azure pode receber um evento e, em seguida, colocá-lo num arquivo de dados como o SQL Server.

Orientações de implementação

Produtos/Descrição Documentação

Estatísticas das Aplicações

Detete problemas, diagnostique falhas e controle a utilização na sua aplicação Web com o Application Insights. Tome decisões informadas ao longo do ciclo de vida de desenvolvimento.

Aplicações Web

Crie e implemente rapidamente aplicações Web fundamentais à escala

Contas de Armazenamento

Armazenamento na cloud durável, de elevada disponibilidade e extremamente dimensionável

Máquinas Virtuais

Forneça máquinas virtuais para Ubuntu, Red Hat e muito mais

Azure Active Directory (AD)

Sincronize diretórios no local e ative o início de sessão único

Base de Dados SQL do Azure

A Base de Dados SQL do Azure é um serviço de base de dados relacional que permite criar, expandir e dimensionar rapidamente as aplicações relacionais na cloud.

Monitor do Azure

Dados altamente detalhados e monitorização em tempo real para qualquer recurso do Azure.

Service Bus

Ligue-se em ambientes de cloud privados e públicos

Event Grid

Obtenha a entrega de eventos fiável numa escala massiva