Como será a minha fatura se utilizar o escalão S1?

Todas as APIs no escalão S1 são cobradas com base na taxa fixa de 5 dólares por 1000 transações. Saiba mais sobre os preços do Azure Maps

Perguntas e respostas relacionadas

  • Pode alterar a configuração da sua conta Azure Maps a qualquer momento. Para obter instruções sobre como efetuar alterações no portal do Azure, veja a documentação em gerir o escalão de preço da sua conta Azure Maps.

  • Quando utiliza o Site Recovery, o licenciamento do Site Recovery, o armazenamento do Azure, as transações de armazenamento e a transferência de dados de saída são-lhe cobrados. A licença do Site Recovery funciona por instância protegida, em que uma instância é uma máquina virtual ou um servidor físico.

    • Se um disco de máquina virtual fizer a replicação para uma conta de armazenamento standard, o custo com o Armazenamento do Azure refere-se ao consumo de armazenamento. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for 1 TB e forem utilizados 400 GB de armazenamento, o Site Recovery cria um VHD de 1 TB no Azure, mas o armazenamento cobrado são 400 GB (mais a quantidade de espaço de armazenamento utilizado para os registos de replicação).
    • Se o disco de uma máquina virtual fizer a replicação para uma conta de armazenamento premium, o custo com o Armazenamento do Azure refere-se ao tamanho do armazenamento aprovisionado, arredondado à opção de disco de armazenamento premium. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for 50 GB, o Site Recovery cria um disco de 50 GB no Azure, que o mapeia para o disco de armazenamento premium (P10) mais próximo. Os custos são calculados com base no P10 e não no tamanho de disco de 50 GB. Saiba mais. Se utilizar o armazenamento premium, também é necessário uma conta de armazenamento standard para os registos de replicação e a quantidade de espaço do armazenamento standard utilizado para estes registos também é cobrada.
    • Não são criados discos até ser feita uma ativação pós-falha de teste ou uma ativação pós-falha. No estado da replicação, são incorridos custos de armazenamento na categoria de “Blob de páginas e disco”, de acordo com a calculadora de preços do Armazenamento. Estas cobranças têm por base o tipo de armazenamento — premium ou standard — e o tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS, entre outros.

    Se selecionar a opção para utilizar discos geridos numa ativação pós-falha, aplicam-se custos aos discos geridos após uma ativação pós-falha ou uma ativação pós-falha de teste. Os custos com os discos geridos não se aplicam durante a replicação. Durante a replicação, incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas". Estes custos têm por base o tipo de armazenamento, premium ou standard, e no tipo de redundância de dados: LRS, GRS, RA-GRS, etc. Exemplo: Para uma VM a replicar para o armazenamento premium com um disco de SO de 128 GB e um disco de dados de 500 GB: 1. Durante a replicação: Incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" para os tamanhos de disco de armazenamento premium P10 e P20. Os tamanho dos discos que são replicados (128 GB e 500 GB) são arredondados para o tamanho de disco premium não gerido mais próximo de P10 (128 GB) e P20 (512 GB) para faturação. Também é utilizada uma conta de armazenamento standard para registar alterações delta durante a replicação. Também são faturados os custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" com base na quantidade de armazenamento standard utilizado para estes registos. 2. Durante uma Ativação pós-falha de teste ou após uma ativação pós-falha para discos geridos: Aplicam-se custos de discos geridos para os tamanhos de discos geridos P10 e P20. Exemplo: Para uma VM a replicar para o armazenamento standard com um disco de SO de 32 GB e um disco de dados de 250 GB: 1. Durante a replicação: Incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" para armazenamento standard. 2. Durante uma Ativação pós-falha de teste ou após uma ativação pós-falha para discos geridos: Aplicam-se custos de discos geridos para os tamanhos de discos geridos standard S4 (32 GB) e S15 (256 GB). Como pode ver, o tamanho dos discos (32 GB e 250 GB) foram arredondados para o tamanho de disco gerido standard mais próximo de S4 (32 GB) e S15 (256 GB).

    • Se a opção para utilizar discos geridos numa ativação pós-falha não for selecionada, são incorridos custos com o armazenamento na categoria de Discos Não Geridos e Blobs de páginas”, de acordo com a calculadora de preços do Armazenamento. Estas cobranças têm por base o tipo de armazenamento — premium ou standard — e o tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS, entre outros.
    • As transações de armazenamento são cobradas durante a replicação estável e para operações de máquina virtual após uma ativação pós-falha ou uma ativação pós-falha de teste. Contudo, estes custos são marginais. Também são incorridos custos durante as ativações pós-falha de teste nos casos em que os custos de máquinas virtuais, armazenamento, saída e transações de armazenamento se aplicam.
  • Saiba como mapear um domínio personalizado.

  • Sempre que um utilizador aceder à sua aplicação, é utilizada uma consulta DNS para mapear o nome do seu serviço para o respetivo endereço IP. Ao fornecer respostas diferentes a consultas DNS diferentes, o Gestor de Tráfego permite encaminhar o tráfego de entrada em vários serviços alojados do Azure, independentemente de estarem a ser executados no mesmo datacenter ou em diferentes datacenters em todo o mundo. O Gestor de Tráfego oferece-lhe vários métodos de encaminhamento de tráfego, incluindo desempenho, ativação pós-falha e round robin. Ao utilizar estes métodos para gerir eficazmente o seu tráfego, pode garantir desempenho, disponibilidade e resiliência elevados para as suas aplicações.

  • Depende do estado atual de um canal. Os valores possíveis incluem:

    • Parado. Este é o estado inicial de um canal após a sua criação. Neste estado, as propriedades do canal podem ser atualizadas, mas a transmissão em fluxo não é permitida.
    • A Iniciar. O canal está a ser iniciado. Não são permitidas transmissões em fluxo nem atualizações durante este estado. Caso ocorra um erro, o canal volta para o estado Parado.
    • A Executar. O canal é capaz de processar transmissões em fluxo.
    • A parar. O canal está a ser parado. Não são permitidas transmissões em fluxo nem atualizações durante este estado.
    • A apagar. O canal está a ser apagado. Não são permitidas transmissões em fluxo nem atualizações durante este estado. A tabela seguinte mostra como os estados de um canal mapeiam para o modo de faturação. |Estado do canal|Indicadores IU do portal|Foi cobrado?| |---|---|---| |A Iniciar|A Iniciar|Não (estado transitório)| |A Executar|Pronto (nenhum programa em execução) ou A Transmitir em fluxo (pelo menos um programa em execução)|Sim| |A Parar|A Parar|Não (estado transitório)| |Parada|Parada|Não|
  • O Cloud Service Dependency Map (CSDM, Mapa de Dependências do Serviço Cloud) documenta dependências de sistema vitais, quer a montante, quer a jusante, que podem ter impacto nos seus serviços cloud. Este Mapa ajuda a sua equipa de TI a reconhecer potenciais problemas antes de ocorrerem e, caso ocorram, permite-lhe resolver problemas mais depressa.