Como devo licenciar o Windows Server se precisar de executar instâncias recuperadas num local secundário?

Os servidores têm de estar totalmente licenciados com licenças do Windows Server. Se o cliente tiver cobertura ativa do Software Assurance no Windows Server no local principal, pode implemetá-lo no local secundário através do benefício de Recuperação Após Desastre do Software Assurance apenas para fins de recuperação após desastre de não produção. Consulte os Direitos de Utilização do Produto (Product Use Rights, PUR) para determinar se a utilização do cliente cumpre os critérios do benefício de Recuperação Após Desastre do Software Assurance.

Azure Site Recovery

Perguntas e respostas relacionadas

  • Azure does not support persistent MAC addresses, and so software with MAC based license models can't be used for both on-premises to Azure migration or disaster recovery.

  • O Windows Server deve ser licenciado através do seu Services Provider License Agreement (SPLA).

  • O Windows Server pode ser licenciado através do seu contrato SPLA ou da licença do cliente final, caso os clientes finais sejam elegíveis para o benefício Software Assurance da Recuperação Após Desastre.

  • O Benefício Híbrido do Azure ajuda-o a tirar o máximo partido das licenças no local e na cloud. Permite-lhe utilizar as suas licenças do Windows Server com Software Assurance para máquinas virtuais à taxa de computação base, resultando em poupanças superiores a 40 por cento ou mais em todas as regiões do Azure. Utilize o seu Benefício Híbrido ao migrar os seus servidores do Windows para o Azure. Saiba mais.

  • O Benefício Híbrido do Azure é aplicável a todos os clientes com Software Assurance ativo e pode ser ativado no Azure, independentemente da forma como o Azure é aprovisionado (Contrato Enterprise, Fornecedor de Soluções Cloud, entre outros).

  • Quando utiliza o Site Recovery, o licenciamento do Site Recovery, o armazenamento do Azure, as transações de armazenamento e a transferência de dados de saída são-lhe cobrados. A licença do Site Recovery funciona por instância protegida, em que uma instância é uma máquina virtual ou um servidor físico.

    • Se um disco de máquina virtual fizer a replicação para uma conta de armazenamento standard, o custo com o Armazenamento do Azure refere-se ao consumo de armazenamento. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for 1 TB e forem utilizados 400 GB de armazenamento, o Site Recovery cria um VHD de 1 TB no Azure, mas o armazenamento cobrado são 400 GB (mais a quantidade de espaço de armazenamento utilizado para os registos de replicação).
    • Se o disco de uma máquina virtual fizer a replicação para uma conta de armazenamento premium, o custo com o Armazenamento do Azure refere-se ao tamanho do armazenamento aprovisionado, arredondado à opção de disco de armazenamento premium. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for 50 GB, o Site Recovery cria um disco de 50 GB no Azure, que o mapeia para o disco de armazenamento premium (P10) mais próximo. Os custos são calculados com base no P10 e não no tamanho de disco de 50 GB. Saiba mais. Se utilizar o armazenamento premium, também é necessário uma conta de armazenamento standard para os registos de replicação e a quantidade de espaço do armazenamento standard utilizado para estes registos também é cobrada.
    • Não são criados discos até ser feita uma ativação pós-falha de teste ou uma ativação pós-falha. No estado da replicação, são incorridos custos de armazenamento na categoria de “Blob de páginas e disco”, de acordo com a calculadora de preços do Armazenamento. Estas cobranças têm por base o tipo de armazenamento — premium ou standard — e o tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS, entre outros.

    Se selecionar a opção para utilizar discos geridos numa ativação pós-falha, aplicam-se custos aos discos geridos após uma ativação pós-falha ou uma ativação pós-falha de teste. Os custos com os discos geridos não se aplicam durante a replicação. Durante a replicação, incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas". Estes custos têm por base o tipo de armazenamento, premium ou standard, e no tipo de redundância de dados: LRS, GRS, RA-GRS, etc. Exemplo: Para uma VM a replicar para o armazenamento premium com um disco de SO de 128 GB e um disco de dados de 500 GB: 1. Durante a replicação: Incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" para os tamanhos de disco de armazenamento premium P10 e P20. Os tamanho dos discos que são replicados (128 GB e 500 GB) são arredondados para o tamanho de disco premium não gerido mais próximo de P10 (128 GB) e P20 (512 GB) para faturação. Também é utilizada uma conta de armazenamento standard para registar alterações delta durante a replicação. Também são faturados os custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" com base na quantidade de armazenamento standard utilizado para estes registos. 2. Durante uma Ativação pós-falha de teste ou após uma ativação pós-falha para discos geridos: Aplicam-se custos de discos geridos para os tamanhos de discos geridos P10 e P20. Exemplo: Para uma VM a replicar para o armazenamento standard com um disco de SO de 32 GB e um disco de dados de 250 GB: 1. Durante a replicação: Incorre em custos de armazenamento na categoria "Discos não geridos e blobs de páginas" para armazenamento standard. 2. Durante uma Ativação pós-falha de teste ou após uma ativação pós-falha para discos geridos: Aplicam-se custos de discos geridos para os tamanhos de discos geridos standard S4 (32 GB) e S15 (256 GB). Como pode ver, o tamanho dos discos (32 GB e 250 GB) foram arredondados para o tamanho de disco gerido standard mais próximo de S4 (32 GB) e S15 (256 GB).

    • Se a opção para utilizar discos geridos numa ativação pós-falha não for selecionada, são incorridos custos com o armazenamento na categoria de Discos Não Geridos e Blobs de páginas”, de acordo com a calculadora de preços do Armazenamento. Estas cobranças têm por base o tipo de armazenamento — premium ou standard — e o tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS, entre outros.
    • As transações de armazenamento são cobradas durante a replicação estável e para operações de máquina virtual após uma ativação pós-falha ou uma ativação pós-falha de teste. Contudo, estes custos são marginais. Também são incorridos custos durante as ativações pós-falha de teste nos casos em que os custos de máquinas virtuais, armazenamento, saída e transações de armazenamento se aplicam.