Como será minha fatura se eu usar a camada S1?

Todas as APIs na camada de serviço S1 são cobradas em uma taxa fixa de US$ 5,00 a cada mil transações. Saiba mais sobre o preço do Azure Mapas

Perguntas e respostas relacionadas

  • Você pode alterar a configuração de uma conta do Azure Mapas a qualquer momento. Para obter instruções sobre como fazer alterações no Portal do Azure, consulte a documentação sobre gerenciamento do tipo de preço da sua conta do Azure Mapas.

  • Ao usar o Site Recovery, você poderá ser cobrado pela licença do Site Recovery, pelo armazenamento do Azure, por transações de armazenamento e pela transferência de dados de saída. A licença do Site Recovery é por instância protegida, na qual uma instância é uma máquina virtual ou um servidor físico.

    • Se um disco de máquina virtual replica para uma conta de armazenamento padrão, o encargo do Armazenamento do Azure é para o consumo de armazenamento. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for de 1 TB e 400 GB de armazenamento forem usados, o Azure Site Recovery criará um VHD de 1 TB no Azure, mas o armazenamento cobrado é de 400 GB (mais a quantidade de espaço de armazenamento usada para logs de replicação).
    • Se um disco de máquina virtual replicar para uma conta de armazenamento premium, o encargo do Armazenamento do Azure é para o tamanho de armazenamento provisionado, arredondado para a opção de disco de armazenamento premium mais próxima. Por exemplo, se o tamanho do disco de origem for de 50 GB, o Site Recovery criará um disco de 50 GB no Azure e o Azure o mapeia para o disco de armazenamento premium mais próximo (P10). Os custos são calculados sobre o P10 e não sobre o tamanho do disco de 50 GB. Saiba mais. Se você estiver usando armazenamento premium, uma conta de armazenamento padrão para log de replicação também será obrigatória e o valor do espaço de armazenamento padrão usado para esses logs também será cobrado.
    • Nenhum disco é criado até um failover de teste ou um failover. No estado de replicação, os encargos de armazenamento na categoria de "Blob de páginas e disco" são cobrados de acordo com a calculadora de preço de armazenamento. Esses encargos são baseados no tipo de armazenamento (premium ou padrão) e no tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS e muito mais.

    Se a opção de usar discos gerenciados em um failover for selecionada, os encargos dos discos gerenciados serão aplicados após um failover ou um failover de teste. Os encargos de discos gerenciados não serão aplicados durante a replicação. Durante a replicação, incorrem os encargos de armazenamento na categoria de “Blobs de páginas e discos não gerenciados”. Estes encargos são baseados no tipo de armazenamento premium ou padrão e no tipo de redundância de dados: LRS, GRS, RA-GRS etc. Exemplo: para uma VM que replica para armazenamento Premium com disco de sistema operacional de 128 GB e um disco de dados de 500 GB: 1. Durante a replicação: incorrem os encargos de armazenamento na categoria de “Blobs de páginas e discos não gerenciados” para os tamanhos de discos de armazenamento Premium P10 e P20. O tamanho dos discos sendo replicados (128 GB e 500 GB) são arredondados para o tamanho do disco Premium não gerenciado mais próximo de P10 (128 GB) e P20 (512 GB) para cobrança. Usa-se também uma conta de armazenamento padrão para registrar em log as alterações delta durante a replicação. Também são cobrados encargos de armazenamento na categoria de “Blobs de páginas e discos não gerenciados” com base na quantidade de armazenamento standard utilizado para esses logs. 2. Durante um failover de teste ou após o failover para discos gerenciados: aplicam-se encargos de disco gerenciado para discos gerenciados Premium dos tamanhos P10 e P20. Exemplo: para uma VM que replica para armazenamento standard com o disco de sistema operacional de 32 GB e o disco de dados de 250 GB: 1. Durante a replicação: incorrem os encargos de armazenamento na categoria de “Blobs de páginas e discos não gerenciados” para armazenamento standard. 2. Durante um failover de teste ou após o failover para discos gerenciados: aplicam-se encargos de disco gerenciado para discos gerenciados standard de tamanhos S4 (32 GB) e S15 (256 GB). O tamanho dos discos (32 GB e 250 GB) foi arredondado para o tamanho de disco gerenciado padrão mais próximo de S4 (32 GB) e S15 (256 GB).

    • Se a opção de usar discos gerenciados em um failover não for selecionada, os encargos de armazenamento na categoria de “Discos Não Gerenciados e Blob de páginas” serão cobrados após o failover de acordo com a Calculadora de preço de armazenamento. Esses encargos são baseados no tipo de armazenamento (premium ou padrão) e no tipo de redundância de dados, incluindo LRS, GRS, RA-GRS e muito mais.
    • As transações de armazenamento são cobradas durante a replicação de criação contínua e para operações regulares da máquina virtual após um failover ou failover de teste. Mas esses encargos são insignificantes. Os custos também são incorridos durante o failover de teste, no qual os custos de máquina virtual, armazenamento, saída e transações de armazenamento serão aplicados.
  • Saiba como mapear um domínio personalizado.

  • Consulte a Documentação do ExpressRoute para ver a localização do emparelhamento do ExpressRoute para o mapeamento de zona.

  • O CSDM (Mapa de Dependências do Serviço de Nuvem) documenta dependências críticas do sistema, tanto upstream quanto downstream, as quais podem afetar os serviços de nuvem. Isso ajudará a sua equipe de TI a reconhecer possíveis problemas antes que eles ocorram e a ajudará a resolver os problemas mais rapidamente quando acontecerem.

  • Sempre que um usuário acessa seu aplicativo, uma consulta DNS é usada para mapear o nome do serviço ao endereço IP correspondente. Ao fornecer diferentes respostas para consultas DNS diferentes, o Gerenciador de Tráfego permite a você rotear o tráfego de entrada entre os vários serviços do Azure hospedados, não importando se eles estão no mesmo datacenter ou em diferentes datacenters ao redor do mundo. O Gerenciador de Tráfego oferece diferentes opções de métodos de roteamento de tráfego, incluindo desempenho, failover e round robin. Usando esses métodos para gerenciar o tráfego de maneira eficaz, você pode garantir alto desempenho, disponibilidade e resiliência dos aplicativos.